Portal Brasil  
   
A Unidade
Histórico
Finalidades
Instalações
Organograma
Equipe
Localização
Dados Cadastrais
Licitações
Produtos
Algodão
Amendoim
Gergelim
Mamona
Pinhão Manso
Sisal
Serviços
Produção Científica
Livraria Virtual
Links
Área Restrita

Buscar
Controle de Pragas

Percevejo Verde (Nezara viridula)


Os percevejos são insetos sugadores que se alimentam dos frutos ainda verdes. Pode se perceber que a lavoura está sofrendo ataque dessa praga pela presença de frutos pretos e chochos entre frutos normais num mesmo cacho. Tanto os adultos quanto as formas jovens vivem em colônias sobre a planta, alimentando-se de seiva e provocando o secamento dos frutos. O controle dessa praga pode ser feito com inseticidas à base de endossulfan na dose de 70g/ha. A pulverização deve ser direcionada para os cachos.


Figura 1 - Percevejo Verde na Mamona
Foto: Arquivo Embrapa Algodão

Cigarrinha (Empoasca cramer)


As cigarrinhas não são específicas da mamoneira, atacando diversas outras espécies. São insetos pequenos e bastante ágeis que sugam a seiva da planta. As formas jovens têm o hábito de se locomoverem lateralmente. O principal sintoma do ataque de cigarrinha é a curvatura dos lóbulos foliares para cima, como se fosse uma mão se fechando. O controle pode ser feito com inseticidas à base de monocrotofós na dose de 60g/ha.


Figura 2 - Cigarrinha na Mamona
Foto: Arquivo Embrapa Algodão

Lagartas


Diversas espécies de lagartas podem atacar a mamona, como: Spodoptera latifascia, Agrotis ipsilon, Elasmopalpus lignosellus e outras. O controle pode ser feito com inseticidas sintéticos ou biológicos. Nem todas as lagartas observadas se alimentando das folhas da mamona podem ser consideradas pragas, pois muitas delas não causam prejuízo que justifique seu controle.


Figura 3 - Lagarta na Mamona
Foto: Arquivo Embrapa Algodão

Ácaros (Tetranychus urticae) 

Os ácaros não são insetos, mas sim aracnídeos. São pequenos, quase invisíveis a olho nu e são encontrados mais facilmente na face inferior da folha; alimentam-se da epiderme foliar, raspando a superfície da folha. Os sintomas de seu ataque são inicialmente a perda de brilho e esbranquiçado da superfície da folha, evoluindo para pontos ou áreas amarelas e marrons, onde a folha seca. Com o auxílio de uma lupa, é possível ver os ácaros na face inferior da folha. Sob ataque muito intenso, ocorre formação de teias sob a folha ou até mesmo sob os cachos ou outras estruturas.


Figura 4 - Ácaros na Mamona
Foto: Arquivo Embrapa Algodão